Destaques Destaques - Mobile

Sobre Booster - Parte 2

Por Gustavo Auad, técnico ITTF nível 2* – 360TT

Continuando a desmistificar o uso de booster, nessa segunda parte continuarei falando sobre o tema.

Em dezembro de 2020, a ITTF fez um webinar no youtube sobre equipamentos de tênis de mesa. Um dos temas foi o uso de booster, onde eles chamam de After Treatments.

Em 2019, após os abertos da Croácia e da Polônia e a copa do mundo de equipes em Tokyo, eles selecionaram alguns atletas para descolar suas borrachas, sem consequência para o atleta em caso de não conformidade. O próprio atleta fazia a descolagem, sempre após o último jogo do atleta no torneio. A escolha do atleta foi baseada no teste de raquete, onde o árbitro avaliador ficava com dúvidas do resultado.

Curiosamente, flagraram vários atletas adulterando suas madeiras permitindo usar mais booster na borracha, consequentemente fraudando o teste de espessura.

Importante esclarecer que todo booster aumenta a espessura da borracha, a borracha cresce em todos os lados, também em espessura. E se tem mais espessura, ganha performance. É de conhecimento do meio mesatenistico que uma borracha com esponja 2.2mm é mais rápida que uma 2.0mm, que é mais rápida que uma 1.8mm e assim sucessivamente.

Encontraram evidências nas raquetes como:

  • Selante na proximidade do cabo.
  • Dente na borracha onde o equipamento de medição apoia.
  • Medições muito baixas de espessura como 3,58mm em raquete de atletas de nível mundial.
  • Divergência de espessura medida com lente de aumento.
  • Lâmina superior da madeira lixada no ponto de apoio do equipamento de medição.
  • Aparência do top sheet da borracha evidenciando o uso de booster.

Nas medições após a desmontagem, encontraram borrachas com até 4,18mm de espessura. Abaixo o equipamento de medição usado pra medir a espessura das borrachas após a desmontagem:

Esse incremento de espessura entrega até 10% a mais de performance em relação a uma borracha dentro do limite de 4mm. Essas raquetes passaram no teste de espessura normal com a raquete montada, pois as madeiras foram severamente preparadas pra isso.

Abaixo algumas imagens:

Pelas imagens, os atletas flagrados usavam borracha chinesa ou eram chineses. Como a lista de atletas não foi divulgada, não é possível saber exatamente.

No início desses testes, houveram discussões calorosas, mas após explicarem que o objetivo era proteger os jogadores honestos dos trapaceiros, as reações foram positivas.

Após esses testes, perceberam que a vantagem de performance para o atleta que usasse borrachas com mais de 4mm era enorme e a igualdade entre os jogadores não seria garantida dessa forma. Os jogadores ainda sugeriram um aumento no limite de espessura, sinal que ainda estão buscando performance pelas borrachas e que apenas trocar por uma madeira mais rápida não resolveria nesse caso.

Esse foi um caso de trapaça, para obter melhor performance e é pra isso que existe o controle de raquetes, mas vamos inverter a situação, uma borracha com a performance diminuída pelo fato que seu booster de fábrica já foi consumido, também é um fator de desigualdade. Nesse caso, com o objetivo de devolver a tensão de fábrica, o booster deveria ser amplamente usado, ainda mais se as seguintes condições forem atendidas:

  • A borracha Euro/Japa foi usada por pelo menos umas 40h e ainda tem aderência no top sheet aproveitável.
  • O booster não faz mal a saúde, portanto a raquete passa nos testes se estiver dentro da espessura limite de 4mm.
  • O booster não contem VOC, portanto a raquete passa nos testes.

Se a borracha for chinesa e não tiver esponja porosa como exemplo a GoldArc(feita na Alemanha), ela foi desenvolvida para ser usada com booster e isso só não é dito abertamente por questões comerciais, com isso, use desde nova, desde que não ultrapasse o limite de 4mm e esse booster não contenha VOC.

Benefícios do uso do booster:

  1. É ecologicamente correto, pois as borrachas vão durar mais e serão muito menos descartadas na natureza.
  2. A sua borracha usada retorna a tensão/performance de fábrica por uma ou mais vezes até a aderência decair e ser necessário a troca. Com isso jogar com uma borracha usada continua prazeroso por muito mais tempo, como se ela fosse nova.
  3. O potencial de efeito/velocidade da borracha é mantido por muito mais tempo.
  4. Se você comprou uma borracha usada e por ter encolhido ela não coube na sua madeira, o booster pode voltá-la ao tamanho original. Após usar booster numa borracha que encolheu, é normal ela chegar a crescer 0,5cm ou até mais em toda sua circunferência.
  5. Se você não participa de torneios oficiais, pode turbinar sua raquete e deixa-la mais agradável e rápida pra jogar e se divertir.
  6. Você sente melhor a bola numa borracha que teve o booster de fábrica resposto. O feeling fica espetacular.
  7. O som da borracha fica muito melhor, lembrando um pouco o som da cola rápida.
  8. A borracha sobe mais a bola, o que é ótimo pra atacar.

Agora que já devo ter te convencido que usar booster não é errado, pelo contrário, deveria ser estimulado, vou dar algumas dicas de uso. Se você treina todo dia, reponha o booster a cada 30 dias, caso contrário, a cada 2 meses. Dê preferência a um booster que seja muito eficiente, que ofereça controle da quantidade aplicada, não faça mal a saúde nem tenha cheiro, tenha PH fisiológico(não faz mal a pele) e tenha suporte técnico do fabricante. O nosso SpeedUp 360 oferece tudo isso, além de manual de instruções impresso, esponja aplicadora, bico dosador, e meu suporte técnico regular.

Ah, e booster também pode(deve?) ser usado no top sheet, mas é assunto pra outro momento.

Gustavo Auad

Técnico ITTF Nível 2*
Treinador principal do clube Ginástico/360TT
Loja virtual: www.360tt.com.br
E-mail: gustavo@360tt.com.br

Este artigo pode ser copiado e distribuído, sempre citando o autor e mantendo o texto original.
Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998

Plataforma

WBUY - Solução Inteligente em E-commerce